quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Clareando as idéias principais

Boa noite,

Essa é uma postagem com SPOILERS. Vou clarear um pouco as idéias principais do livro para quem estiver interessado em ler ou está lendo mas tem alguma dúvida.


  • A renovação: Um cirurgião pega um cérebro de um corpo velho e coloca no clone mais jovem da mesma pessoa. Simples assim, o resto é pirotecnia. Eu pensei e me foi sugerido escrever só sobre isso e o porque o melhor amigo de  alguém passando por esse processo escolheria não fazê-lo. Mas sendo honesto comigo mesmo, numa realidade com essa tecnologia seria necessário habitar novos planetas. então eu gastei muito tempo pensando num propósito de se viver. Um deles seria criar algo, outro seria conhecer coisas novas. 
  • Explorar novos planetas; durante muito tempo flertei com a ideia de que realidades diferentes seriam um sonho. Como um "O magico de Oz" ou "Alice no país das maravilhas". Esses dias um amigo chamou de "Um pequeno príncipe" com "Matrix". Mas a parte de sonho, ou delírio ficou complexa e abortei.Na verdade eu não tinha sociedades diferentes em mente, mas sim lugares, talvez um pouco surreais. Mas fazia sentido ele querer ir. A surpresa foi eu me interessar tanto pela personagem Christine. Eu demorei demais para me convencer a fazê-lo deixá-la. Mas ele precisaria estar sozinho. A solidão é um aspecto fundamental da viagem. A pureza das coisas é: viver só, porque estar vivo, existir é desejável? Acho que no fim os planetas significam a busca por propósito.
  • Robôs e o condicionamento: Hoje acordamos antes das 7 para trabalhar até as 5, quando é possível, chegar as 6 em casa ficar exausto, comer, tomar banho, e ter de 3 a 4 horas para fazer algo, sendo que em geral envolve exercícios e televisão. Nós já somos condicionados. Heitor seria um comparativo, pois a palavra robô significa escravo. E por este lado as leis de Isaac Asimov fala que um robô não pode ferir humanos, deve obedecê-lo e se proteger. Bom, eu quis criar leis diferentes que obedeceriam ao controle da Terra. E por isso Adam passaria muito tempo reprogramando justamente para mostrar que ele não consegue fugir de seu condicionamento.
  • A mancha negra e o sinal fantasma: A ideia por trás destes dois itens é a ideia literal de romper a fronteira do espaço. eu gastei muito tempo pensando em como poderia ser do outro lado e descartei praticamente tudo. mas o ponto de haver uma missão que o compele a ir sempre em frente resolvia muitos problemas e encurtava muito o livro como um todo. mas e então, e quando você alcança? Volta pra casa? Começa de novo? Mesmo depois de mil anos? Por isso quis que as histórias convertessem, pois o fim de duas jornadas poderiam clarear os mesmo questionamentos. Depois que você exaure as opções, porque continuar. E quem continua a partir dai.
  • A destruição da Terra. Esse é uma construção de conceitos que ficou complexa. A sociedade fictícia e condicionada evoluiu em mil anos. A sociedade ficou mais extrema no condicionamento. Então eu precisava subverter o condicionamento para sequestrar a todos. Assim traria de volta o medo da morte e assim fazê-los pensar em vez de existir por inercia. Mas acho que fui muito longe neste caso.

Existiram outros conceitos mas estes são os mais importantes, esperam que tenham gostados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário